Peixefauna
Bem-vindo(a) ao fórum PeixeFauna.
Para poder aceder livremente à nossa comunidade, terá que efectuar Login.
Se ainda não é membro registe-se agora.




 
InícioInício  Conectar-seConectar-se  Registrar-seRegistrar-se  
Aquoporto

 

Discussão de Húmus de Minhoca como Fertilizante do Substrato

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem

pedronb
avatar

Membro
Membro


Localização : Santiago do Cacém
Mensagens : 125
Data de inscrição : 19/04/2009
Gostos : 31


MensagemAssunto: Discussão de Húmus de Minhoca como Fertilizante do Substrato   Sex 05 Jun 2009, 23:11Responder ao tópico

Tópico com muito interesse para aqua LOW COST

A quem diga que funciona e outros dizem que não se alguém tiver experiência...

"Humus de Minhoca como Fertilizante do Substrato:
Método para Tratá-lo e
Possibilitar seu Uso Seguro em Aquários

Tenho usado há mais de três (desde março de 2000) o húmus de minhoca como elemento fertilizante em substrato para plantas aquáticas, com excelentes resultados, e absolutamente nenhum problema que possa ser relacionado a esse material.

Tendo lido vários textos sobre substratos e fertilizantes possíveis de utilização segura em aquários ou para plantas aquáticas, logo percebi que esse seria o material mais acessível tanto em disponibilidade no comércio, em nível nacional. Observação importante é que praticamente 99% desses textos não eram brasileiros, ou seja, tratavam de uma realidade diferente, onde se encontra com facilidade e por preços módicos materiais como turfa, vermiculita, aditivos comerciais diversos e específicos a aquariofilia etc.

Uma das considerações praticamente unânimes sobre o húmus de minhoca nesses textos era sua alta carga biológica e de material orgânico, o que antes de ser problema, encarei como qualidade: bastaria diminuir essa quantidade de material até um nível adequado, que não oferecesse perigo; quanto à carga biológica, bastaria ser esterilizada via aquecimento.

Assim, procurei desenvolver um método simples, barato e acessível que tornasse mais seguro o uso do húmus de minhoca no aquário plantado. Para tanto, teria que eliminar os “excessos” que inviabilizariam o seu uso, já que havia recolhido relatos via internet de colegas que utilizaram o húmus sem tratamento (direto da embalagem). Esses relatos eram em extremo semelhantes, sempre fazendo menção à formação excessiva de bolhas de gás no interior do substrato, emanação de gases fétidos (H2S e outros gases tóxicos), problemas com as raízes das plantas, surtos de algas incontroláveis, problemas de saúde dos peixes, enfim, colapso de todo o sistema.


Características do Húmus de Minhoca

Alguma vez você já se perguntou por que esse material se chama "húmus de minhoca" e não "estrume de minhoca" ? Ou mesmo “cocô” de minhoca ?

Antes, uma resumidíssima consideração sobre o termo “húmus”. Todo material orgânico que decai até o ponto em que não há mais decomposição microbiana é chamado húmus. Geralmente esse já está finamente particulado, passando a constituir parte importantíssima do solo, garantindo-lhe propriedades de fertilidade e retenção de umidade.

As minhocas ocupam papel de grande destaque na natureza, não apenas pelo fato de aerar e descompactar o solo, mas especialmente por ser capaz de aproveitar de maneira tão completa o seu alimento (praticamente qualquer matéria orgânica livre, geralmente de origem vegetal) que, ao defecar o que não foi absorvido, esse material (coprólitos) encontra-se praticamente humificado, isso é, está tão mineralizado que não há praticamente mais ação microbiana decompositora possível. Por isso recebe o nome de “húmus de minhoca”.

Isso se deve a uma fantástica ação de quebra molecular da matéria orgânica ingerida por ação enzimática nos intestinos da minhoca

Como vimos, o húmus natural dos solos e o húmus de minhoca compartilham características comuns, mas não devemos nunca confundir as duas coisas. Mas vale esclarecer que o húmus natural do solo é também possível de ser usado como substrato de aquário plantado com segurança.

Algumas características que demonstram a grande versatilidade e adequação do húmus de minhoca como material fertilizante para substrato de aquários plantados:

1) Alta capacidade de trocas catiônicas (CTC) – é 30 vezes maior que a maioria das argilas que ocorrem no Brasil (veja mais sobre CTC, em breve, no texto sobre substratos para aquários plantados);

2) Rico em micro e macro elementos – análise média: matéria orgânica 40 a 55%; Nitrogênio 1,7 a 2,0%; Fósforo 1,4 a 3,8%; Potássio 1,4 a 2,2%; Cálcio 5,4 a 7,2%; Magnésio 0,8 a 1,3%; Ferro 0,8 a 1,8%; Manganês 550 a 770mcg; Zinco 420 a 1200mcg; Cobre 200 a 300mcg; Cobalto 15 a 40mcg;

3) Preço baixo – o mais caro que você vai encontrar é sempre menos de R$ 2,00 o Kg no varejo;

4) Acessibilidade – atualmente se encontra com facilidade até em hipermercados, como tradicionalmente em floras, lojas de jardinagem etc;

5) Granulometria excelente -- sendo finamente particulado (semelhante a argilas), possibilita a formação de raízes secundárias e até pelos radiculares, que por sua vez proporcionam otimização quase total na nutrição radicular das plantas (isso não é conseguido mesmo pelo uso de areia fina);

6) Segurança -- se houve qualquer tipo de contaminação por pesticida / produtos tóxicos no material de alimento às minhocas, não há como ocorrer a formação de húmus -- as minhocas morrem antes; e não se pode, de fato, usar pesticida na criação das minhocas, senão elas morrem;

7) Ecologicamente correto – é 100% natural, matéria orgânica que ao invés de poluir serviu de alimento para as minhocas, e agora se apresenta como matéria praticamente biologicamente humificada; e não envolve mineração de qualquer tipo, com derrubada de matas, destruição de encostas de rios, nascentes etc.



Tratamento do húmus de Minhoca: como fazer

O “tratamento” dá um pouco de trabalho, mas rende bastante. Se fizer com quantidade pequena, mais rapidamente estará feito; mas se fizer com quantidade maior, rende mais, porque dá para guardar o excedente (depois de seco ao sol) por muito tempo, e depois usar quando precisar.


Materiais:

· um recipiente para efetuar as lavagens e fervura: balde de alumínio é o mais indicado
· húmus de minhoca puro (sem aditivos);
· água limpa (de torneira);
· um fogão ou fogareiro


Método:

1) Adquira húmus 100% puro, sem fertilizantes, conservantes etc; você o encontra desde floriculturas e floras, até em alguns grandes supermercados;

2) Dê uma primeira lavada, da seguinte forma: encha o recipiente até a boca, sem deixar vazar; mas agitando com a mão enquanto enche – vá desmanchando torrões e aglomerados; depois disso feito, espere uns minutos e com muita delicadeza, vá entornando o balde lentamente, de modo que apenas a água com o material em suspensão seja jogada fora (a “água suja”); pode repetir isso mais uma ou duas vezes, eliminando tudo aquilo que flutue;

3) Com água cobrindo no mínimo 3 cm acima do material, ferva-o por cerca de 10 - 15 minutos; cuidado que pode formar-se espuma e transbordar, então nunca encha de água até as bordas do balde;

4) Espere dar uma esfriada (não vá se queimar !!! Cuidado !!!), e então comece a lavar da mesma forma que foi descrito no item 1; lave bastante (várias e várias vezes), eliminando todo o material mais leve e que turva a água e permaneça em suspensão depois de 1 a 2 minutos depois que você cessa de agitar;

5) Ao final dessas lavagens não se deve perder mais que 30% do volume original do húmus; o que está sendo “perdido” é apenas a maior parte da matéria orgânica e material microparticulado que pode vir a facilmente turvar a água do aquário.


Dica: você pode regar plantas com a água que vai ser eliminada nessas lavagens, pois a mesma é um “caldo” rico em nutrientes.

6) A hora de parar de lavar: é difícil esclarecer isso por palavras. Tenho feito isso a partir do ponto em que a água dentro do balde, mesmo turva, começa a dar alguma visibilidade – pode-se ver a mão mergulhada a 10 – 15 cm de profundidade; também não deve mais haver materiais grandes (pedacinhos de galhos, folhas ou ovos de minhoca) que flutuem. O material final deve conservar textura semelhante ao húmus original, com certa aglutinidade e, em aparência, igualmente semelhante ao húmus original, de cor marrom escuro.

O ideal é ainda colocá-lo em camada não espessa, em bacias ou folha de plástico (pode-se cortar um saco, abrindo-o e estendendo-o) sob sol forte para que seque de uma vez. Assim, esse material pode ser guardado por muito tempo (mais de ano), e facilita demais o seu emprego na composição de novos substratos (facilita misturar à areia).

Mas se não puder secá-lo, ou estiver com muita pressa, já pode aplicar direto no aquário, mas nunca direto na água: é na montagem inicial (em aquários já montados, pode-se usá-lo usando técnicas descritas abaixo).


Dosagens

Sugiro sempre que faça o uso do húmus de minhoca com moderação. Também recomendo que o use "diluído" com areia grossa já lavada (granulometria 1 a 3mm), de preferência nas proporções de 50% de areia e 50% húmus.

As quantidades devem ser entre 1 a 2 Kg de húmus já tratado para cada 50 litros do volume bruto do aquário; por exemplo, num aquário de 100 litros recomendo usar entre 2 e 4 Kg de húmus.

Procure evitar usá-lo na camada mais profunda do substrato, especialmente se esse for muito espesso (mais de 10cm); o melhor é colocá-lo devidamente misturado a material inerte (areia), compondo uma camada intermediária do substrato, e sempre coberto por uma última camada de no mínimo 3-4cm de areia pura, de modo que essa isole as demais camadas da coluna d’água.

Em aquários já montados dá para usar o húmus tratado colocando-o em vasos a serem enterrados no substrato (não esqueça de, nos vasos, colocar uma camada de areia por cima antes de inserir o vaso no aquário).

Uma técnica também é possível, e que já usei bastante, são os “pacotes” de refertilização. Com o húmus seco, o misturamos à areia (50 a 50%) e/ou outros materiais (outros fertilizantes, argila etc). Essa mistura deve, então, ser envolvida / embrulhada com papel manteiga, do usado em culinária. Não use muito papel, apenas o suficiente para fazer o embrulho. Para fechá-lo, faça dobraduras no papel.

Para colocar o embrulho no substrato faz-se assim: previamente, limpe a área a ser refertilizada, se necessário desenterrando plantas; afaste parte do substrato, fazendo ou cavando uma cova, onde o embrulho será depositado; seja rápido, mas delicado, ao colocar o embrulho, pois o papel logo pode se desfazer; por fim, cubra novamente a “cova” com o embrulho. Se quiser acelerar o processo, você pode furar o embrulho com alguma haste longa e fina – mas não se esqueça, sempre faça isso apenas depois de enterrado o embrulho !!!!

Outra forma um pouco mais trabalhosa é colocar o húmus tratado seco e puro em cápsulas gelatinosas (dessas usadas com medicamentos), que serão então enterradas junto das raízes das plantas.

E uma última opção é fazer bolotas de argila com recheio de húmus, cozendo essas bolotas em forno até ficarem secas e duras, e então proceder como no caso das cápsulas – enterra-se junto às raízes das plantas.

Vladimir Xaveir Simões, junho 2003 "
Voltar ao Topo Ir em baixo 

David Nunes

Membro Prata
Membro Prata


Localização : Viseu
Mensagens : 1012
Data de inscrição : 25/04/2008
Gostos : 24


MensagemAssunto: Re: Discussão de Húmus de Minhoca como Fertilizante do Substrato   Qui 20 Ago 2009, 23:30Responder ao tópico

Viva,

A bastantes anos que cultivo Humus de minhoca através de viveiros de minhocas para a pesca desportiva e digo-vos que para mim é um dos melhores e mais baratos substractos que podemos encontrar actualmente no mercado!!
Quanto ao seu uso:
Eu costumo usar o Humus ao de "Peneirado" com uma mistura de Argila expandida e Trufa bruta (em fio)!
Esta mistura ajuda e como foi descrito neste excelente texto, a atenuar o efeito descontrolado que o Humus dá aos nutrientes do aquario!
Outro concelho que dou as pessoas que querem usar este tipo de subtracto é que usem uma camada maxima de 2/3 cm de Hums coberta por 3/4 cm de areão fino (Quanto mais fino melhor!) pois assim evita o contacto directo entre o Humus e a coluna de agua, evitando assim um descontrolo dos Nutrientes contidos na mesma, ou seja, a absorção dos nutrientes contidos no Humus é feita exclusivamente pela raíz, evitando assim o excesso de nutrientes na coluna de aqua e em consequençia evita tambem os Booms de algas descontrolados!!
Voltar ao Topo Ir em baixo 

wanderson
avatar

Recém chegado
Recém chegado


Localização : df
Mensagens : 11
Data de inscrição : 07/11/2010
Gostos : 0


MensagemAssunto: Re: Discussão de Húmus de Minhoca como Fertilizante do Substrato   Seg 08 Nov 2010, 00:30Responder ao tópico

eu vou montar um aqua de camaroes mas sei que não e pemitido a presença de cobre e nesse texto acima cita-se que a uma quntidade de 200 a 300 MCG no humos de minhoca .eu poderei usa-lo sem preocupaçoes?ou não agradeço desde ja espero suas respostas
Voltar ao Topo Ir em baixo 

Bartolomeu Silva
avatar

PeixeFauna
 PeixeFauna


Nome Real : Bartolomeu Silva
Localização : Aveiro - OAzemeis
Mensagens : 1380
Data de inscrição : 04/07/2010
Gostos : 60


MensagemAssunto: Re: Discussão de Húmus de Minhoca como Fertilizante do Substrato   Seg 08 Nov 2010, 21:17Responder ao tópico

Se não me falha a memoria, o pH do humus de minhoca é >8... atenção a esse facto..
Voltar ao Topo Ir em baixo 

alves_everaldo
avatar

Recém chegado
Recém chegado


Localização : São paulo
Mensagens : 1
Data de inscrição : 17/11/2010
Gostos : 0


MensagemAssunto: Re: Discussão de Húmus de Minhoca como Fertilizante do Substrato   Qua 17 Nov 2010, 23:27Responder ao tópico

Então jamais poderei colocar peixes de PH ácido em aquas com humus de minhoca?
Voltar ao Topo Ir em baixo 

Bartolomeu Silva
avatar

PeixeFauna
 PeixeFauna


Nome Real : Bartolomeu Silva
Localização : Aveiro - OAzemeis
Mensagens : 1380
Data de inscrição : 04/07/2010
Gostos : 60


MensagemAssunto: Re: Discussão de Húmus de Minhoca como Fertilizante do Substrato   Qui 18 Nov 2010, 13:39Responder ao tópico

Aquilo que já fiz foi utilizar como primeira camada o humus, pouca quantidade, e colocar depois uma camada isolante, mais alta, de substrato de origem argilosa, que terá o efeito contrário.

Outra solução é misturar o humus com um pouco de terra para plantas com ph ácido.
Voltar ao Topo Ir em baixo 

sergio luiz gabriel dos s
avatar

Recém chegado
Recém chegado


Localização : ipiau Ba
Mensagens : 1
Data de inscrição : 27/11/2011
Gostos : 0


MensagemAssunto: Re: Discussão de Húmus de Minhoca como Fertilizante do Substrato   Dom 27 Nov 2011, 00:33Responder ao tópico

Olá passei aqui pra dizer que nao tive muito sucesso com humus de minhoca.A principio montei o aqua estava muito bem derepente comercou subir e ae ficou muito feio coloquei uma camada de areia mas nao resolveu.Entao descobrir que nao se tratava do humus mas sim dos caramujos que veio junto com o humus
Voltar ao Topo Ir em baixo 

cleberfp
avatar

Recém chegado
Recém chegado


Localização : Rio de Janeiro
Mensagens : 5
Data de inscrição : 02/12/2011
Gostos : 0


MensagemAssunto: Re: Discussão de Húmus de Minhoca como Fertilizante do Substrato   Sex 02 Dez 2011, 17:40Responder ao tópico

Bastante interessante.
Já havia me informado a respeito do humus na fertilização de um aquário plantado, mas essa foi a primeira vez que li sobre a preparação.
Excelente!
Voltar ao Topo Ir em baixo 

moises mm
avatar

Membro ativo
Membro ativo


Nome Real : Moises Silveira
Localização : Itupeva-SP
Mensagens : 662
Data de inscrição : 18/12/2010
Gostos : 31


MensagemAssunto: Re: Discussão de Húmus de Minhoca como Fertilizante do Substrato   Sex 02 Dez 2011, 19:22Responder ao tópico

Eu uso e as plantas crescem feito pragas em uma semana voltam a crescer(DEPOIS DA PODA) fico pasmo com isso mas um crescimento fora do normal pegam rapidinho, só que tem que tratar muito bem ele, se não começa a subir soltar bolhas e dá vai tudo para o brejo!
Voltar ao Topo Ir em baixo 

rogs122
avatar

Membro
Membro


Nome Real : Renê G. Ferreira
Localização : São Paulo, Brasil
Mensagens : 171
Data de inscrição : 10/10/2011
Gostos : 0


MensagemAssunto: Re: Discussão de Húmus de Minhoca como Fertilizante do Substrato   Sab 03 Dez 2011, 11:59Responder ao tópico

Muito interessante, irei implantar isso no meu aquario maior... Realmente substrato por aqui no Brasil é muito caro... Amei...

Voltar ao Topo Ir em baixo 

moises mm
avatar

Membro ativo
Membro ativo


Nome Real : Moises Silveira
Localização : Itupeva-SP
Mensagens : 662
Data de inscrição : 18/12/2010
Gostos : 31


MensagemAssunto: Re: Discussão de Húmus de Minhoca como Fertilizante do Substrato   Sab 03 Dez 2011, 14:14Responder ao tópico

rogs122 escreveu:
Muito interessante, irei implantar isso no meu aquario maior... Realmente substrato por aqui no Brasil é muito caro... Amei...

Amigo ja foi na rsdiscus pra se lá tem mais barato !!!
Voltar ao Topo Ir em baixo 

LMTT
avatar

PeixeFauna
 PeixeFauna


Nome Real : Luis Torrão
Localização : CASTELO BRANCO
Mensagens : 114
Data de inscrição : 18/05/2010
Gostos : 1


MensagemAssunto: Re: Discussão de Húmus de Minhoca como Fertilizante do Substrato   Sab 03 Dez 2011, 23:01Responder ao tópico

Eu uso e recomendo
Voltar ao Topo Ir em baixo 

ism01
avatar

Membro ativo
Membro ativo


Localização : Porto(Amarante)
Mensagens : 319
Data de inscrição : 12/05/2014
Gostos : 1


MensagemAssunto: Re: Discussão de Húmus de Minhoca como Fertilizante do Substrato   Sex 16 Maio 2014, 08:14Responder ao tópico

pessoal estou a pensar montar um aqua de 136 litros pelo que vejo preciso ai de 6kg como sei que existem perdas na lavagem do humus o melhor será comprar 10 kg nao?

muito obrigado pelo tópico.

Editado, dúvida sobre podas de plantas foi movida para o tópico do aquário do membro. Este tópico é especifico para falarmos do Húmus de minhoca.
Vera Santos
Voltar ao Topo Ir em baixo 

Conteúdo patrocinado





MensagemAssunto: Re: Discussão de Húmus de Minhoca como Fertilizante do Substrato   Responder ao tópico

Voltar ao Topo Ir em baixo 

Discussão de Húmus de Minhoca como Fertilizante do Substrato

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Peixefauna :: Água Doce :: Plantas :: Substratos e fertilização-