Peixefauna
Bem-vindo(a) ao fórum PeixeFauna.
Para poder aceder livremente à nossa comunidade, terá que efectuar Login.
Se ainda não é membro registe-se agora.




 
InícioInício  Conectar-seConectar-se  Registrar-seRegistrar-se  
Aquoporto
 

Capitulo II - Manual do Aquariofilista Iniciante - O que preciso comprar ????

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem

José Elias
avatar

Old SchoolPeixeFaunaOld SchoolPeixeFauna


Nome Real : Jose Elias Aka CyberJ
Localização : Vialonga
Mensagens : 2980
Data de inscrição : 22/06/2012
Gostos : 148


MensagemAssunto: Capitulo II - Manual do Aquariofilista Iniciante - O que preciso comprar ????   Ter 22 Jan 2013, 15:45Este Tópico está bloqueado. Você não pode editar as mensagens ou responder.

Bem, finalmente quero iniciar-me no mundo da Aquariofilia, mas… Por onde começar???
Esta é a pergunta que quase todos fazemos a primeira vez que pensamos em iniciar-nos neste maravilhoso Hobby.
No Inicio, tudo parece muito complicado, e é recorrente sermos mal aconselhados pelos lojistas que pouco percebem do assunto e só querem vender.
Claro que existem lojistas muito experientes e Honestos, mas, infelizmente eles não têm uma placa na testa a definir o grau de conhecimento / Honestidade.
Como tal, resolvi escrever este tópico para ajudar os iniciados a fazerem as compras certas.
Vamos então começar pela Lista de materiais para peixes Tropicais (Agua Quente) :

Material Indispensável:
1. Aquário
2. Filtro
3. Termostato
4. Termómetro
5. Iluminação
6. Substrato
7. Decoração
8. Flora
9. Fauna
10. Testes químicos
11. Camaroeiro
12. Alimentação
13. Pinças e tesouras, cifão e balde

Após termos a lista de material, vamos então entrar em mais pormenor no que toca a cada um deles:

1. Aquário: O aquário é a peça fundamental deste Hobby, sem ele, não é possível ser aquariofilista 
Como tal, temos de dar muita importância a este item, e neste caso, a regra do quanto maior, melhor, aplica-se que nem ginja.

Pudemos comprar dois tipos de aquários, os “Comerciais” e os Aquários feitos por encomenda.

Apesar do meu primeiro aquário, e mesmo o aquário actual ser “Comercial”, penso que a opção de encomendar um aquário trás muitas vantagens, concretamente o facto de poder ter as medidas exactas que pretendemos, pudermos escolher o tipo de Vidro, e não trazer materiais sub-dimensionados como é hábito nos comerciais.

Relativamente às dimensões do aquário, como disse em cima, quanto maior melhor, isto porque quantos mais litros de agua o aquário levar, mais fácil será de o manter, e os erros que todos cometemos no inícios iram notar-se menos, e como é obvio, quanto maior for, mais opções em relação à fauna temos… O mínimo recomendado para um iniciante ronda os 60L de água, mas o ideal será acima dos 100L.

Temos também de ter algum cuidado com as proporções do aquário, se um aquário tiver menos de 30cms de fundo, além de perdemos a nível visual, pois não temos profundidade, também é mau para os peixes de maior dimensão, pois podem ter dificuldade em se virar. O Ideal será sempre entre os 40 e os 50cms…

O mesmo em relação à altura do aquário, se for muito baixo, iremos ter problemas nas espécies que poderemos colocar dentro do aquário, mas também não é conveniente ter um aquário muito alto, pois não só iremos ter dificuldade em iluminar o fundo, como não vamos conseguir fazer uma manutenção fácil, basta medir-mos o comprimento do nosso Braço. As medidas recomendadas variam entre os 40 e os 60cms..

Para terminar o capítulo do Aquário, queria só referir para comprarem aquários de marcas referenciadas ou encomendar em casas de renome, por vezes o barato sai caro.
Há, e já agora, se tiverem condições para comprar um aquário com vidro extra-claro, é sempre outra “Loiça”.

2. Filtro: A Seguir ao Aquário, esta é a peça fundamental onde não deveremos poupar.
O Filtro é o coração do Aquário, ele é responsável por manter o ecossistema estável, se o filtro parar, os peixes podem morrer todos em poucas horas. Só para terem uma ideia, ele é responsável por: Fazer circular a agua dentro do aquário, oxigenar a agua, retirar todas a impurezas suspensas na agua, retirar todos os componentes nocivos aos peixes que estão dissolvidos na agua, é no filtro que estão a maioria das MILAGROSAS Bactérias Nitrificantes que iram tornar a perigosa e nociva amónia e Nitritos em matéria inofensiva para os peixes, para obteres mais informação sobre este assunto, consulta : http://www.peixefauna.com/t9786-o-ciclo-do-azoto-nocoes-importantes

O Filtro deverá sempre ter um caudal mínimo de 5x o volume do aquário por hora, ou seja, para um aquário de 50L o mínimo admissível será um filtro capaz de debitar 250L Horas, mas isto é o mínimo, o ideal será 10x o Volume do aquário por hora.
Estes números podem parecer absurdos, mas quando um filtro diz que tem uma bomba de X litros por hora, este caudal só consegue ser obtido sem qualquer matéria filtrante dentro do filtro, com o rotor completamente limpo, e a funcionar ao nível da água.
Quando adicionamos as matérias filtrantes, e a sujidade que nessa se acumula, podemos perder até 50% da força da bomba.

Existem vários tipos de filtros, e varias marcas, umas melhores que outras, sem queres ser parcial, pois existem dezenas de marcas, as mais conhecidas e conceituadas serão a Eheim, JBL, Fluval, depois, caso te tenha saído o Euromilhoes, ou queiras vender o teu carro novo para comprar o filtro, tens sempre as obras-primas da ADA.
No que toca ao tipo de filtros, temos de ter mais atenção, os tipos de filtros mais comuns e por ordem de preferência são:

-SUMP – Uma Sump não é propriamente um filtro, é mais um 2º aquário que fica escondido por debaixo do 1º, e que leva todas as matérias filtrantes, termostatos, e uma bomba de retorno, a utilização de uma SUMP obriga a que o aquário principal seja pensado de inicio na utilização da SUMP, derivado à saída e entrada de agua, alem do espaço que ocupa, o maior inconveniente da uma SUMP é o barulho que faz aquando da queda de agua do Aquário para a SUMP, no entanto existem técnicas para reduzir drasticamente este barulho.

- Filtro Externo:
Este é o filtro que tens de pensar em primeiro lugar, pois os filtros externos são os melhores, São os que têm um maior volume filtrante, são os mais fáceis de realizar a manutenção, pois não temos de colocar as mãos dentro do aqua, e esteticamente são os melhores, pois a única coisa que vemos dentro do aquário são dois tubos, um de entrada de água, outro de saída. O único inconveniente deste filtro é o espaço que ele ocupa fora do aquário, o que por muitas vezes nos obriga a por de lado a ideia de comprar um filtro destes. O custo também é normalmente elevado em relação aos outros tipos de filtros.

- Filtro de Cascata:
O Filtro de cascata é a 3ª melhor opção, a seguir à SUMP e ao Filtro externo, pois é um pequeno filtro externo que fica pendurado no vidro do aquário.
Normalmente tem menor área para matérias filtrantes, mas é a solução ideal para aquários pequenos, são mais baratos do que os filtros externos, e o seu grande inconveniente é a adaptação a aquários comerciais, pois estes normalmente têm tampas que são incompatíveis com este tipo de filtros.
Filtro BioBox: A Biobox é a última alternativa eficaz, consiste numa caixa que fica dentro do aquário, onde normalmente tem dentro dela as matérias filtrantes ,o termostato, e uma bomba de água. A Agua entre por uma lateral da Biobox é imediatamente aquecida pelo termostato, depois através de um labirinto passa pelas várias matérias filtrantes até ser expulsa pela bomba de água.
Ao nível da filtração, é tão eficaz quanto a sua área para matérias filtrantes, mas tem como grandes inconvenientes ocupar muito espaço útil dentro do aquário (Ficando menos espaço para os peixes), ficar feio, pois temos uma caixa preta à vista de todos, e ter uma manutenção difícil, pois temos de colocar as mãos dentro do aquário pra limpar e substituir as matérias filtrantes, o que normalmente acaba por sujar toda a água do aquário.
Quase todos os aquários comerciais trazem uma biobox.

Filtro Interno ou de esponja: Este tipo de filtro é o mais ineficiente, como tal não o recomendo para nenhum aquário. Normalmente tem como matéria filtrante apenas uma esponja, e mesmo essa, é de pequenas dimensões.
Este filtro é muito útil para Aquários pequenos usados como Aquário Hospital.

Para terminar, queria só salientar que a quando da aquisição do filtro, confirmem se este vem completo com matérias filtrantes, pois muitas vezes eles são vendidos vazios.

3. Termostato: O Termostato é o componente responsável por aquecer e manter a água a uma temperatura estável, um aquário tropical, consoante as espécies de peixes que pretendemos colocar deverá ter uma temperatura constante entre dos 23º e os 28 Graus, apesar de existirem algumas excepções, tendo em conta a importância de termos uma temperatura constante deveremos comprar um termostato que no mínimo tenha a mesma potência em Watts do que litros de água, mas em algumas situações, como por exemplo zonas muito frias, é aconselhável o uso de 2 termostatos, cada um com a regra acima referida.
No entanto eu aconselho a aquisição de termostatos sempre com uma potência superior aos litros de água, por ex. para um aqua de 50L comprar um de 75W
Não existe qualquer problema de comprar um termostato muito mais potente do que a litragem do aquário.

4. Termómetro: O termómetro é indispensável para verificar-mos a temperatura do aquário, existem basicamente 3 tipos, os mais convencionais são os termómetros de Vidro que se prende ao aquário por ventosas, depois temos uns de fita preta que têm uma escala que muda de cor consoante a temperatura, e temos os electrónicos.
Na escolha do termómetro, convém escolher um que seja proporcional ao tamanho do aquário.

5. Iluminação: A iluminação do aquário tem duas utilidades, a primeira e mais óbvia é possibilitar nós vermos os peixes.
A Segunda função é possibilitar o crescimento e alimentação das plantas no nosso aquário.
Se para a primeira função pudemos dizer que é “ao gosto do freguês”, na segunda opção as coisas já são diferentes.
A Iluminação dum aquário é feita através de um ou vários tipos de iluminação, sendo o mais comum:
Lâmpadas Florescentes T8 (Iguais às que temos na cozinha)
Lâmpadas Florescentes T5 (Mais finas que as T8)
Lâmpadas HQI (Super potentes)
Lâmpadas Leds ( O Futuro)

A Quantidade ideal de luz dentro de um aquário é muito subjectiva, pois depende de dois factores muito importantes, O Primeiro é o tipo de plantas que temos, o segundo a altura do aquário, pois quanto mais alto o aquário for, mais luz terá que ter para esta chegar ao fundo do aquário.

Tradicionalmente muito aquariofilista fazem referencia a uma conversão Watt / Litro, mas na minha opinião, não existe nada mais errado, porque os Watts medem o consumo energético, não a capacidade luminosa da lâmpada.

Sendo assim, o ideal é pesarmos em Lumens/Litro.

Para manter as plantas saudáveis, incluindo as mais exigentes,” bastará” qualquer coisa como 60Lm/L

A maior parte dos aquários comerciais já trás calhas com lâmpadas, normalmente insuficientes, mais um motivo para eu aconselhar aquários encomendados por medida.

Quando vamos escolher os tipos de lâmpadas, temos de ter muita atenção, pois o ideal será comprar lâmpadas com uma relação de Lúmens por Watt o mais alta possível, pois a electricidade está muito cara.

Para terem uma ideia genérica dos Lúmens por WATT:

Lâmpada incandescente de 75W Produz 940 Lm logo tem uma relação de 12,5Lm/W
Lâmpada Florescente T8 de 36W Produz 3350Lm logo tem uma relação de 93Lm/W
Lâmpada Florescente T5 de 35W Produz 3650Lm Logo tem uma relação de 104Lm/W
Lâmpada HQI de 150W produz 13400Lm, logo tem uma relação de 89Lm/W
Led de 1W HighPower Produz 120Lm, logo tem uma relação de 120Lm/W
Led SMD 3528: 0.08w por led debita 7 lumens ou seja 87.5 Lm/w
Led SMD 5050: 0.24w por led debita 14 lumens ou seja 58.3 Lm/w

No caso das leds, por exemplos nas SMD, as 5050 são mais usados, porque apesar da relação lumen/w ser menor, consegue-se mais lumens por cm e como tal mais luz)

Estes valores apesar de serem só uma referência, pois podem variar de marca para marca e de modelo, dá para perceber que o futuro está nas leds, no entanto, para obtermos um valor aceitável de lumens, ainda fica caro, mas o seu custo tem diminuído de dia para dia.

Sendo assim, a escolha óbvia para a maior parte dos aquariofilistas são as lâmpadas T5.

Mas, nem só de potência e de lumens vivem as plantinhas, outro factor muito importante é a temperatura da Luz, ou seja a sua cor.

As plantas apenas absorvem luz com uma temperatura compreendida entre os 4500K e os 10 000K, como tal, convém comprar as lâmpadas dentro desta amplitude.

6. Substrato: Basicamente o Substrato é o material que irá ficar na base do nosso aquário
Podemos dividir o substrato em dois, Inertes e férteis.
O substrato Fértil, é um género de terra que contem muitos nutrientes para o bom crescimento das plantas, existem várias marcas e modelos, sendo o mais comum derivado à relação qualidade/preço o JBL Aquabasic
O Substrato fértil necessita sempre de uma camada de substrato inerte por cima.
O substrato fértil normalmente é vendido ao Litro, (Apesar de ser solido).
Por norma, 1cm de altura de substrato fértil é suficiente, então para calcular-mos a quantidade necessária de substrato fértil que necessitamos, recorremos à seguinte formula:Comprimento do Aqua X Largura do Aqua /1000 = Nº Litros de substrato fértil., sendo assim para um aquário de 60x30x40cm temos:
60cm x 30cm/1000 =1,8L, arredondado, 2L de Substrato fértil.

O Substrato Inerte é as pedrinhas ou areia que vemos na base do aquário, e que irá cobrir o substrato fértil. Tem como finalidade decorar, manter o substrato fértil longe da coluna de agua e agarrar as raízes das plantas.
Existem vários tipos de substrato inerte, variam em cor, tamanho e composição, produtos tão variados como o Basalto ou Xisto moídos, sílica, areia de rio, entre outros podem ser usados como substrato inerte, o importante é ter atenção a 3 factores: 1. A cor não ser artificial, pois muitos substratos à venda nas lojas são pintados, e a médio/longo prazo podem envenenar a agua. 2. Não alterar a química da agua, alguns substratos mexem no PH da agua, e apesar de um aquariofilista experiente puder brincar com isto, não é conveniente para um iniciado. 3. Ter uma granulometria entre 1mm e 3mm, pois se for muito fino pode sufocar as raízes das plantas, muito grosso as plantas não se agarram.
O Substrato inerte deve ter mais ou menos 4cms à frente e 8cms a trás para dar uma perspectiva de profundidade, sendo assim, pudemos utilizar a seguinte formula:
(Cumprimento do Aquario X (Largura do aquario/2) X 4 cm )+( Cumprimento do Aquario X (Largura do aquario/2) X 8 cm) = Quantidade de L necessários
Ao contrario do substrato fértil, o substrato inerte é vendido ao Kg, por vezes é difícil fazer equivalência…

7. Decoração: Apesar de este ponto variar muito consoante os gostos do aquariofilista , o meu conselho vai para o não uso de coisas artificiais, Aviões despenhados, Ânforas, casas, ruinas, ou afins, não fazem sentido dentro de um aquário.
Sendo assim, pudemos colocar Pedras de vários tamanhos, Troncos não resinosos e bem secos. Neste ponto, o melhor é ver na área de fotos e Vídeos varias montagens de outros aquariofilistas para tirar ideias.

8. Flora: A escolha da Flora é extremamente importante, e temos de ter em consideração as condições que temos no aquário, factores como Luz, fertilização, e CO2 são fundamentais no momento de escolher a flora certa.
Na pagina da Tropica (www.tropica.com) pudemos ver todas as plantas de aquário e as suas características e requisitos, pudemos também ver muitos layouts para tirar ideias.

9. Fauna: Aqui pudemos ter muita calma, depois de montar o aquário, temos um mês para escolher a fauna certa. Temos de ter em consideração factores como o tamanho do aquário, o PH, o KH e o GH da Agua e a compatibilidade entre espécies

10.Testes Químicos: É importante comprar pelo menos testes de PH, NH4, NO2, NO3, KH, estes teste vão permitir saber o estado da agua, que fauna colocar, quando colocar peixes e sabermos a qualidade da agua. Para os mais exigentes ainda existem muitos outros testes como de CL, PO4, etc…


11.Camaroeiro: Como é obvio, precisamos de uma rede para tirar os peixes do saco e coloca-los dentro do aqua e vice-versa… também é útil para tirar alguma baixa que aconteça do aquário.

12. Alimentação: a alimentação convém ser diversificada, flocos, pastilhas, granulados e comida congelada são importantes para os peixes não comerem sempre o mesmo.

13.Pinças e tesouras, cifão e balde: As pinças e tesouras são importantes para plantar e podar as plantas, já o cifão e o balde servem para as famosas TPA’s, todo este material só pode ser usado no aquário, não utilizar este material para qualquer outro fim, o balde deve ser novo e nunca ter levado qualquer detergente.


Obrigado a todos os que leram este testamento, espero ter ajudado!

Qualquer correcção não se aquanhem, este topico é muito dinamico.

Queria agradecer ao João Rui pelo contributo na informação do topico.


Última edição por José Elias em Ter 22 Jan 2013, 16:28, editado 3 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo 

José Elias
avatar

Old SchoolPeixeFaunaOld SchoolPeixeFauna


Nome Real : Jose Elias Aka CyberJ
Localização : Vialonga
Mensagens : 2980
Data de inscrição : 22/06/2012
Gostos : 148


MensagemAssunto: Re: Capitulo II - Manual do Aquariofilista Iniciante - O que preciso comprar ????   Sab 26 Jan 2013, 21:48Este Tópico está bloqueado. Você não pode editar as mensagens ou responder.

up
Voltar ao Topo Ir em baixo 

Capitulo II - Manual do Aquariofilista Iniciante - O que preciso comprar ????

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Peixefauna :: Água Doce ::  Iniciação à Água Doce-